04 de setembro de 2017

Inep divulga os Indicadores de Qualidade da Educação Superior e resultados do Enade 2016

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nesta sexta-feira, 1º, em coletiva de imprensa, os resultados do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2016 e dois indicadores calculados a partir deste exame: o Conceito Enade e o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD). Conforme divulgado anteriormente, o Inep fez melhorias na forma de divulgação dos dados referentes a 2016. Uma das principais novidades é que o IDD voltou a ser divulgado separadamente como um indicador de qualidade, pois anteriormente era apresentado apenas como componente do Conceito Preliminar de Curso (CPC).

Outra novidade é que o processo de divulgação dos indicadores passa a ser dividido em duas etapas. É a primeira vez que o Inep divulga antecipadamente esses dados, antes da próxima edição do Enade, em conjunto com o Boletim de Desempenho Individual no Enade e os relatórios síntese de área.

A presidente do Inep, Maria Inês Fini, destacou que foi o maior Enade já realizado, tanto em número de cursos quanto de participantes. “Mas mesmo assim, estamos conseguindo divulgar os resultados antes do prazo previsto, o que demonstra a responsabilidade e o profissionalismo das equipes de logística e pedagogia do nosso órgão”, afirmou.

Também estiveram o Secretário da Seres, Henrique Sartori de Almeida Prado, o Presidente da Conaes, Paulo Antonio Gomes Cardim, a Diretora de Avalição da Educação Superior do Inep, Mariangela Abrão, o Coordenador Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior da Autarquia, Renato Augusto dos Santos e Coordenadora Geral do Enade, Alline Andrade.

Os Relatórios Síntese de Área apresentam informações detalhadas a respeito da composição das provas, do desempenho e do perfil dos estudantes da área, da distribuição dos cursosno país, além de uma visão sobre o desempenho das instituições brasileiras no Enade. Já os Relatórios de IES apresentam as informações a respeito do perfil e do desempenho dos estudantes de todos os cursos que participaram da prova de 2016 vinculados à instituição. Em seguida, os Relatórios de Curso apresentam panorama do perfil e desempenho dos estudantes de cada um dos cursos que realizaram o exame.

Os indicadores calculados são para os cursos com participantes concluintes do Enade 2016, que envolveu as áreas de Agronomia; Biomedicina; Educação Física; Enfermagem; Farmácia; Fisioterapia; Fonoaudiologia; Medicina; Medicina Veterinária; Nutrição; Odontologia; Serviço Social; Zootecnia; Tec. em Agronegócio; Tec. em Estética e Cosmética; Tec. em Gestão Hospitalar e Tec. em Gestão Ambiental.

O IDD será divulgado no Diário Oficial da União (DOU), e-MEC e portal do Inep como os demais indicadores: o Conceito Enade, o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC).

ENADE

Previsto na lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, que institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, o exame é realizado pelo Inep, sob a orientação da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e conta com o apoio técnico de comissões assessoras. É realizado para aferir o desempenho dos estudantes em relação a conhecimentos, competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso. As áreas de avaliação do Enade, relacionadas às grandes áreas de conhecimentos do ciclo avaliativo, são definidas, anualmente, em Portaria específica do Ministério da Educação.

O exame é composto de 40 questões, divididas em duas partes: Formação Geral – FG e Componente Específico – CE. A primeira tem dez questões, sendo oito de múltipla escolha e duas discursivas, que Contempla temas como sociodiversidade, biodiversidade, globalização, cidadania e problemas contemporâneos. Essas perguntas equivalem a 25% da nota da prova. A segunda visa aferir as competências, habilidades e o domínio de conhecimentos necessários para o exercício da profissão e é composta por 30 questões, sendo 27 questões de múltipla escolha e três discursivas, o que equivale a 75% da nota da prova.

Estatísticas do Enade 2016 – Nessa edição, o total de estudantes concluintes regulares e que foram inscritos totalizou 216.064, mas desses 195.757 realizaram a prova. O Enade foi realizado em todas as Unidades da Federação, distribuído em 942 municípios, com 1.009 locais de aplicação e 7.388 de salas.

Em relação aos cursos avaliados, a estatística contabilizou 4.300. As Instituições de Ensino Superior (IES) foram 997 e as áreas de avaliação somaram 18.

As grandes áreas de conhecimentos do Ciclo Avaliativo do Enade são: Saúde, Ciências Agrárias e áreas afins, referentes aos Bacharelados e Licenciaturas. E Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança, para os cursos Tecnológicos.

Perfil dos estudantes concluintes –
O Questionário do Estudante é um dos instrumentos de coleta de informações do Enade, de caráter obrigatório, que tem por objetivo subsidiar a construção do perfil socioeconômico do estudante e obter a percepção quanto ao seu processo formativo. Com base no exame realizado no ano passado, para os estudantes concluintes regulares 46,9% são jovens de até 25 anos e 54,6% vivem com os pais.

Em relação às características predominantes: 51,7% são da cor branca e 36,1% são pardos; 74,4% são solteiros; 47,6% têm renda familiar mensal de 1,5 a 4,5 salários mínimos. Em relação ao mercado de trabalho: 54,4% não estão trabalhando e 42,8% dedicam de uma a três horas de estudos por semana. Em relação à bolsa de estudos e financiamentos, 36,5% do total de respondentes receberam financiamento do Programa Universidade para Todos (ProUni) ou Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). Dos estudantes que receberam financiamento do ProUni ou FIES: 62,6% têm renda familiar de até 3 salários mínimos; 61,5% são os primeiros da família com acesso à educação superior e 29,6% ingressaram por meio de políticas afirmativas.

Microdados do Enade –
O Inep disponibiliza os microdados, de todas as edições do Enade, por código de curso, o que permite diferentes formas de agregação, como por exemplo, a comparação entre as modalidades EAD e presencial. Os arquivos apresentam os resultados de cada estudante, sem identificação do participante, nas edições do Exame e as respostas aos Questionários do Estudante.

Sinopses Estatísticas do Enade – Disponível para download, a publicação corresponde a umconjunto de tabelas relativas à participação eao desempenho de estudantes, cursos e Instituições de Educação Superior no exame, além de um compilado das respostas ao Questionário do Estudante. Todasas informações estão organizadas por região geográfica, organização acadêmica e categoria administrativa.

RESULTADOS DOS INDICADORES DE QUALIDADE DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Conceito Enade – Esse Indicador de Qualidade avalia os cursos por intermédio dos desempenhos dos estudantes no Enade, na parte de Formação Geral (FG), calcula também o desempenho dos estudantes concluintes na parte de Componente Específico (CE) e o total de estudantes concluintes que participaram do Enade. Para divulgação desse cálculo é necessário que pelo menos os cursos tenham dois estudantes concluintes e participantes do exame. O Curso que não tiver essa quantidade fica “Sem Conceito (SC)”. Esse indicador também mantém relação direta com o Ciclo Avaliativo do Enade, sendo os cursos avaliados segundo as áreas de avaliação a ele vinculadas. Para entender melhor, todos os indicadores são expressos em faixas, descritas em uma escala discreta crescente de valores de um a cinco, conforme tabela a seguir:


Os cursos por Faixa do Conceito Enade, 40% deles estão na faixa três. Em relação às redes públicas e privadas, na faixa três: 44% das redes privadas e 26% das redes públicas estão nessa faixa. Já na faixa quatro: 43% das redes públicas e 19% das redes privadas estão nessa faixa. Na última faixa: 16% das redes públicas e 3% das redes privadas estão incluídas na faixa 5. 

Indicador de Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD)
– O IDD é calculado desde a primeira edição do Enade, em 2004. Até 2013, o indicador era calculado diretamente no nível de agregação por curso, por causa da impossibilidade de se comparar os desempenhos esperados e os observados de cada estudante participante no Enade, como também no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), com base nos resultados a partir do número de CPF do estudante. Desde 2014, o IDD é calculado primeiramente por indivíduo e, posteriormente, no nível de agregação por curso. Isso porque hoje é possível comparar medidas de desempenho do mesmo estudante no ingresso e na conclusão do curso de graduação avaliado. Desde 2007, o IDD é utilizado também como componente do Conceito Preliminar de Curso (CPC) e segue as mesmas faixas do Conceito Enade.

Para que um curso tenha o IDD calculado, é preciso possuir no mínimo dois estudantes concluintes participantes do Enade com informações da base de dados do Enem, no período entre o ano de ingresso no curso avaliado e os três anos anteriores. Também é necessário atingir 20% do total de estudantes concluintes participantes do Enade com dados recuperados da base de dados do Enem.

Os cursos por faixa do IDD de 2016 tem 59% na faixa três e 17% na faixa 4. Em relação às redes públicas e privadas: 57,8% das redes privadas e 62,6% das redes públicas estão nessa faixa 3. Já na faixa quatro: 17,4% das redes públicas e 16,7% das redes privadas estão nessa faixa. Na última faixa: 2,8% das redes públicas e 4,9% das redes privadas estão incluídas na faixa 5.

Microdados do IDD – O arquivo tem informações dos estudantes participantes do Enade com desempenhos encontrados no Enem até o ano de ingresso no curso de graduação: ano de realização do Enade, códigos da instituição e do curso, ano de ingresso do estudante no curso, tipo de presença e Nota Geral dos estudantes no Enade, ano de realização do Enem e as notas do estudante nas provas de Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens e Códigos e Matemática.

Com o objetivo de dar transparência na metodologia de cálculo utilizada, o Inep disponibiliza anualmente, em seu portal, Notas Técnicas que apresentam a metodologia do cálculo dos indicadores para cálculo e divulgação.

Os resultados dos Indicadores Conceito Enade e IDD referentes à edição 2016 do Enade foram divulgados na Portaria 697, de 31 de agosto de 2017, no Sistema e-MEC e no Portal do Inep.

Clique aqui para acessar a Nota Técnica sobre Cálculo do Conceito Enade
Clique aqui para acessar a Nota Técnica sobre Cálculo do IDD
Clique aqui para acessar os Microdados do Enade e do IDD.
Clique aqui para acessar as Sinopses Estatísticas do Enade.
Clique aqui para acessar os Relatórios Síntese de Área e Relatórios de IES e Cursos.
Clique aqui para acessar a Apresentação dos Resultados do Enade

 

 
Últimas
Notícias ANGRAD
Mais lidas